Monica Loyola Stival

Presentación

10brasilmstival opt200pxProfessora no Departamento de Filosofia da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e no Programa de Pós-Graduação em Filosofia da UFSCar.
Doutora em Filosofia pela Universidade de Sâo Paulo (USP), realizou estágio doutoral na Université Paris 1 Panthéon-Sorbonne em 2011-2012. Mestre em Filosofia também pela Universidade de São Paulo (USP) e bacharel em Filosofia pela Universidade Federal do Paraná (UFPR).
Membro da diretoria da ANPOF - Associação Nacional de Pós-Graduação em Filosofia, gestão 2017-2018. Pesquisa filosofia contemporânea e filosofia política.
Coordenadora do Laboratório de Estudos da Subjetividade – LES / UFSCar. Professora na Universidade Federal de São Carlos – UFSCar / Brasil.

Esta dirección de correo electrónico está siendo protegida contra los robots de spam. Necesita tener JavaScript habilitado para poder verlo.

Link para cv completo: http://lattes.cnpq.br/0624149613819754

Publicaciones

STIVAL, M. L.. Politique et morale chez Foucault: entre la critique et le nominalisme. 01. ed. Paris: L'Harmattan, 2018. 298p.
STIVAL, M. L.. Política e moral em Foucault: entre a crítica e o nominalismo. 1. ed. São Paulo: Edições Loyola, 2015. 320p.

STIVAL, M.L. Le sujet du (néo)libéralisme

STIVAL, M. L.. Clastres e a crítica de Foucault ao conceito de poder. R@U : REVISTA DE ANTROPOLOGIA SOCIAL DOS ALUNOS DO PPGAS-UFSCAR, v. 9, p. 39-46, 2017.

STIVAL, M. L.. Foucault e o fim do poder moderno. Dois Pontos (UFPR) digital, v. 13, p. 109-121, 2016.

STIVAL, M. L.. Governo e poder em Foucault. Trans/Form/Ação (UNESP. Marília. Impresso), v. 39, p. 107-125, 2016.
STIVAL, MONICA. Foucault: de Binswanger a Kant. Cadernos de Filosofia Alemã, v. 19, p. 131-148, 2014.

Proyectos

2018 – Atual
Laboratório de estudos da subjetividade

Descrição: O Laboratório de Estudos da Subjetividade conecta pesquisas que se desenvolvem em quatro grupos temáticos diferentes e complementares: - O conceito de sujeito ou de subjetividade na filosofia contemporânea. - Estudos de antropologia filosófica. - Sujeito e agência na interface da filosofia com a antropologia. - A questão da sujeição, subjetivação e/ou assujeitamento na (filosofia) política contemporânea. A proposta do laboratório é servir como espaço de leitura e debate. Com isso, pretende-se alcançar um solo coletivo de reflexão que permita considerar de maneira sólida alguns dos desafios do pensamento no/do/sobre o século XXI. O eixo que conecta as diferentes leituras e horizontes de pesquisa é o que se pode chamar ?subjetividade? na vida contemporânea. Embora o percurso se faça a partir da questão geral da subjetividade, trazendo ao primeiro plano noções como corpo, vontade, agência, desejo, prazer etc., diversas esferas da vida prática estão envolvidas nas discussões, tais como a arte e a política.

Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (9) / Mestrado acadêmico: (4) / Doutorado: (3).
Integrantes: Monica Loyola Stival - Coordenadora.
https://lesufscar.wordpress.com/

2017 - Atual
Subjetividade e virtualidade

Descrição: Trata-se de pesquisar a constituição da subjetividade tal como se formula na segunda metade do século XX (a partir de Foucault e Deleuze) e no século XXI. O percurso deste projeto geral é estruturado em três eixos complementares: 1) a crítica ao humanismo e os conceitos de sujeito e subjetividade; 2) o princípio de realidade e a virtualidade na constituição do sujeito; 3) a constituição política de sociedades circunscritas em redes. Esses três eixos organizam uma reflexão a respeito da relação entre antropologia e política em sua forma mais recente.

Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Integrantes: Monica Loyola Stival - Coordenadora.

Projetos concluídos:

2014 - 2017
A política na filosofia do século XX

Descrição: Esta pesquisa procura identificar o modo como alguns filósofos do século XX circunscreveram a esfera da política. Pretende-se estudar, particularmente, as obras de Carl Schmitt, Leo Strauss, Claude Lefort e Chantal Mouffe. Esses são autores que não apenas tematizaram questões políticas centrais, como poder, direito, justiça, soberania e revolução, mas procuraram determinar o sentido próprio da dimensão política. É assim que o conceito de ?político? torna-se referência permanente nos debates do século XX.

Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (3).
Integrantes: Monica Loyola Stival - Coordenadora / Luiz Damon Santos Moutinho.

2014 - 2017
Política, moral e direito em Foucault e Habermas

Descrição: Trata-se de investigar a relação entre política, moral e direito na modernidade, particularmente a partir das obras de Foucault e Habermas. Pretendo investigar o sentido preciso que Foucault e Habermas fornecem a cada um desses conceitos, assim como a relação entre eles. Isso porque Foucault trabalha com uma noção de ?moral? deslocada do modelo kantiano, comum na filosofia política contemporânea, trazendo à cena o modelo da filosofia antiga. Ele discute a ?política? como jogo de embates discursivos e, finalmente, fala do direito às vezes como tecnologia de poder (direito positivo), às vezes como paradigma de pensamento a ser criticado (tem em vista a dissolução do modelo teológico-jurídico de reflexão sobre a vida social). Assim, Foucault apresenta um quadro conceitual bastante original quando se considera discussões importantes da filosofia política contemporânea. Por isso, será útil desenvolver esse tema ressaltando, tanto quanto possível, um contraponto decisivo, representado por Habermas. Assim como Foucault, Habermas parte de uma crítica às ?filosofias do sujeito?, procurando estabelecer as condições sociais e históricas de constituição do sujeito prático. Todavia, a perspectiva de Habermas estaria vinculada, segundo Foucault, a outro procedimento crítico, aquele que prima pela justificação da legitimidade. Em suma, destacar afinidades e diferenças entre esses dois filósofos permitirá situar o modo como a discussão em torno da moral, da política e do direito são formuladas na segunda metade do século XX.

Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Integrantes: Monica Loyola Stival - Coordenadora.
Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPq - Auxílio financeiro.